Exposição Virtual – Vale do Peruaçu

Exposição Virtual Vale do Peruaçu

A Exposição Virtual Vale do Peruaçu mostra um pouco da exuberância cultural e geográfica do vale do Peruaçu — no Norte de Minas Gerais — e de sua expressão mais autêntica: o artesanato.

Fortalecer o artesanato de um local é uma maneira eficiente de proteger sua cultura, seu meio ambiente e todo o tecido social que o produz. 

A exposição é uma iniciativa do Centro de Artesanato da região de Januária, do Instituto Ekos Brasil, e do Museu A Casa.

A geologia no Vale do Peruaçu se revela como um lugar sagrado, sendo casa para os antepassados que aqui viviam.

Foto: Kika Antunes, acervo da Revista Manzuá.

A arte rupestre é presente em todo o território, possibilitando o imaginário representar o cotidiano dos antepassados no presente. Os espeleólogos encontraram nas escavações cestarias e cerâmicas, saberes que estão presentes no artesanato das comunidades tradicionais ainda hoje.

Foto: Rainer Seffrin

Proteger a cultura é proteger o território

2019 Instituto Ekos Brasil

O chão vermelho é o caminho em meio às paisagens dos biomas Cerrado e Caatinga.

Foto: Kika Antunes, acervo da Revista Manzuá.

A natureza é tida como lugar de existência e criação, pois dali se tira o alimento e soluções para o dia mediante o artesanato, tendo a criação como meio de renda nas comunidades, em uma relação de equilíbrio.

Foto: Gleydson Mota. Processo tradicional de confecção de esteiras.

Centro de Artesanato

O Centro de Artesanato da região de Januária, Minas Gerais, é uma Instituição Cultural sem fins lucrativos que desenvolve, desde 2005, iniciativas de promoção, preservação e divulgação das manifestações culturais, artísticas, dos saberes e fazeres ligados às práticas tradicionais da região de Januária.

Certificado como Ponto de Cultura, pelo Ministério da Cultura em 2007, consiste em espaço de exposição e comercialização do artesanato, sendo também um espaço cultural de representação da cultura popular, isto é, a identidade, a tradição, a ancestralidade e a história do povo ribeirinho e sertanejo.

A cultura e a arte são parte da paisagem

A cultura e a arte são parte da paisagem

2019
Vale do Peruaçu

Artistas indígenas e quilombolas

Os artistas do Vale do Peruaçu são originários de comunidades tradicionais locais, povos indígenas, e comunidades quilombolas.

A geologia peculiar e exuberante encontra as tradições seculares em cada uma das peças de artesanato, que são carregadas de significado e de poesia plástica legítima.

No Centro de Artesanato da região de Januária, os locais desenvolvem seu trabalho e sua inserção social.

Forno artesanal utilizado na queima de peças pelas Oleiras do Candeal. Este tipo de forno é presente também em comunidades quilombolas do território.

Foto: Gleydson Mota

Processo de acabamento de uma moringa, utensílio utilizado para armazenar água. Nei Leite, artista e educador indígena Xakriabá.

Foto: Luane Gomes.

DANDO FORMA AO BARRO

OLEIRAS DO CANDEAL

TALHANDO A MADEIRA, O PILÃO TOMANDO FORMA

ZEZINHO POMBO, QUILOMBO DE PÉ DA SERRA

E O CUIDADO SE REVELA NOS DETALHES DE CADA PEÇA

ARTESÃO SARVINO – ARTISTA XAKRIABÁ

OS ARTISTAS DO VALE DO PERUAÇU

OS ARTISTAS DO VALE DO PERUAÇU

Trazem saberes seculares para cada uma das peças criadas

A arte que vem da natureza ao redor

Cada uma das peças só poderia ter sido criada nesse lugar. É no Cerrado que é ofertado o barro para as peças de cerâmica, a madeira para as esculturas singulares e suas sementes usadas nas jóias. Elas são a base para a tradição e a expressão humana tomarem forma e virarem objetos utilitários e decorativos.

O artesanato transforma a natureza, e também transforma a vida de artesão.

Veja aqui o trabalho do Centro de Artesanato da Região de Januária. São bordados e cerâmicas, e peças feitas de osso, de madeira, de semente ou de palha, por artistas do Vale do Peruaçu.

As peças podem ser encontradas no Centro de Artesanato da região de Januária, no endereço Rua Visconde de Ouro Preto nº 92. Também é possível adquirir os objetos por meio do telefone do Centro de Artesanato de Januária, (38) 99723-2806, via Whatsapp ou por meio do Instagram @centrodeartesanatojanu.

ESCULTURAS EM CERÂMICA RETRATANDO AS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS NO QUILOMBO

ESCULTURAS EM CERÂMICA RETRATANDO AS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS NO QUILOMBO

Célio Xavier – Quilombo de Palmerinha, Pedras de Mª da Cruz, Minas Gerais

JOGO DE TIGELAS EM CERÂMICA PINTADAS COM TAUÁ

JOGO DE TIGELAS EM CERÂMICA PINTADAS COM TAUÁ

Ivani Leite – Território Indígena Xakriabá

MÁSCARAS INDÍGENAS XAKRIABÁ

MÁSCARAS INDÍGENAS XAKRIABÁ

Dalzira – Território Indígena Xakriabá

MORINGA INSPIRADA NA FAUNA

MORINGA INSPIRADA NA FAUNA

Nei Leite – Território Indígena Xakriabá

FINALIZANDO UMA MORINGA EM CERÂMICA

FINALIZANDO UMA MORINGA EM CERÂMICA

Nei Leite – Território Indígena Xakriabá

CERÂMICAS QUE SÃO UTENSÍLIOS DOMÉSTICO E QUE RETRATAM A VIDA COMUNITÁRIA

CERÂMICAS QUE SÃO UTENSÍLIOS DOMÉSTICO E QUE RETRATAM A VIDA COMUNITÁRIA

Oleiras do Candeal – Comunidade de Olaria, Cônego Marinho, Minas Gerais

JÓIAS XAKRIABÁS, DAS QUAIS REPRESENTAM PODER PARA O ARTESÃO

JÓIAS XAKRIABÁS, DAS QUAIS REPRESENTAM PODER PARA O ARTESÃO

Agnaldo – Território Indígena Xakriabá

CERÂMICA INDÍGENA XAKRIABÁ INSPIRADA NA FAUNA

CERÂMICA INDÍGENA XAKRIABÁ INSPIRADA NA FAUNA

Nei Leite – Território Indígena Xakriabá

COLAR DE OSSO E EM MADEIRA

COLAR DE OSSO E EM MADEIRA

Sarvino – Território Indígena Xakriabá

DETALHES DAS SEMENTES QUE NO ARTESANATO SE TRANSFORMAM EM COLARES

DETALHES DAS SEMENTES QUE NO ARTESANATO SE TRANSFORMAM EM COLARES

ARTESÃO AGNALDO – ARTISTA XAKRIABÁ

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS PEÇAS DOS ARTISTAS DO VALE DO PERUAÇU

CLIQUE AQUI PARA VER MAIS PEÇAS DOS ARTISTAS DO VALE DO PERUAÇU

Peças do Vale do Peruaçu

Produto: Carro de Boi / Artesão: Dalú / Material: Madeira

Produto: Carro de Boi / Artesão: Dalú / Material: Madeira

Origem: Januária – MG / Dimensões: 12 x 20 x 38 cm / Peso: 706g / Código: MD-DA01

Produto: Colar Gola / Artesão: Sarvino / Material: osso e miçanga  / Produto: Colar Gola / Artesão: Sarvino / Material: osso e miçanga 

Produto: Colar Gola / Artesão: Sarvino / Material: osso e miçanga  / Produto: Colar Gola / Artesão: Sarvino / Material: osso e miçanga 

Origem: Etnia Xacriabá – São João das Missões – Itacarambi – MG / Dimensões: 15cm (diâmetro interno) / Peso: 100 g / Código: MD-SA 13

Produto: Cesto Desenho / Artesão: José Carlos / Material: Bambu

Produto: Cesto Desenho / Artesão: José Carlos / Material: Bambu

Origem: Etnia Xacriabá – São João das Missões – Itacarambi – MG / Dimensões: D:36 x A:36 cm / D:40 x A:40 cm (cesto raio) / Peso: 0,850g / Código: FB-JC01

Produto: Pulseira Estreita Abaulada / Artesão: Sarvino Material: osso e miçanga 

Produto: Pulseira Estreita Abaulada / Artesão: Sarvino Material: osso e miçanga 

Origem: Etnia Xacriabá – São João das Missões – Itacarambi – MG / Dimensões: 20, x 04, e 2,5cm (estreita) Peso: 50g / Código: MD-SA 10

Produto: Pulseira Estreita Abaulada / Artesão: Sarvino Material: osso e miçanga

Produto: Pulseira Estreita Abaulada / Artesão: Sarvino Material: osso e miçanga

Origem: Etnia Xacriabá – São João das Missões – Itacarambi – MG / Dimensões: 20, x 04, e 2,5cm (estreita) Peso: 50g / Código: MD-SA 10

Produto: Cesto / Artesão: Valdivino e Valdomiro / Material: Bambu

Produto: Cesto / Artesão: Valdivino e Valdomiro / Material: Bambu

Origem: Comunidade Quilombola de Cabano – Januária – MG / Dimensões: D: 25 x A:26 cm / Peso: 0,340g / Código: FB-VV03

Produto: Moringas – Tatu / Artesão: Ney / Material: argila

Produto: Moringas – Tatu / Artesão: Ney / Material: argila

Origem: Etnia Xacribá- São João das Missões – Itacarambi– MG / Dimensões: 13 x 13 x 28 cm / Peso: 1,798kg / Código: MN-NY01

Produto: Guitarrista / Artesão: Valmir / Material: Madeira

Produto: Guitarrista / Artesão: Valmir / Material: Madeira

Origem: Januária – MG / Dimensões: 67 cm x 15 cm Peso: 0, 638 g / Código: MD-VM01

Produto: Barco Vapor P / Artesão: Silvio / Material: Madeira

Produto: Barco Vapor P / Artesão: Silvio / Material: Madeira

Origem: Januária – MG / Dimensões: 3,5 x11 x 22 cm / Peso: 92g / Código: MD-SV01

Produto: Jogo de 05 cumbucas / Artesão: Ivani Material: argila

Produto: Jogo de 05 cumbucas / Artesão: Ivani Material: argila

Origem: Etnia Xacribá- São João das Missões – Itacarambi– MG / Dimensões: 05x10cm (menor) / 08 x 18 cm(maior) / Peso: PP: 162g P: 232g M: 272g G: 360g GG: 564g / Código: MN-IV01

Produto: Moringa – Águia Material: Argila / Artesão: Nei Leite

Produto: Moringa – Águia Material: Argila / Artesão: Nei Leite

Origem: Etnia Xacribá- São João das Missões – Itacarambi– MG /Dimensões: 13 x 13 x 28 cm Peso: 1,68 kg/ Código: MN-NL12

Produto: Batuqueiro / Artesão: Vanuza / Material: Argila

Produto: Batuqueiro / Artesão: Vanuza / Material: Argila

Origem: Fabião – Itacarambi– MG / Dimensões: 11 x 15 x 21 cm / Peso: 1,170kg / Código: MN-VA03

Produto: Butija / Material: argila

Produto: Butija / Material: argila

Origem: Candeal- Januária – MG / Dimensões: 26 x 37 cm / Peso: 5,474 kg / Código: MN-CD01

Produto: Almofada quadrada / Artesã: Nininha / Material: Tecido e Linha de Algodão

Produto: Almofada quadrada / Artesã: Nininha / Material: Tecido e Linha de Algodão

Origem: Itacarambi – MG / Dimensões: 45cm x 45 cm Peso: 0, 422 g / Código: TC- NN02

Produto: Almofada retangular / Artesã: Nininha Material: Tecido e Linha de Algodão

Produto: Almofada retangular / Artesã: Nininha Material: Tecido e Linha de Algodão

Origem: Itacarambi – MG / Dimensões: 30cm x 45 cm Peso: 0, 415 g / Código: TC- NN03

Ficha técnica

REALIZAÇÃO

 

CONSULTORIA DE ARTESANATO E EXPOSIÇÃO
Direção: Museu A CASA do Objeto Brasileiro e Ponto de Cultura Centro de Artesanato da
região de Januária
Articulação: Instituto Ekos Brasil
Produção: Centro de Artesanato de Januária, Gleydson Mota, Equipe Museu A CASA &
Marcelo Maia
Projeto Gráfico: Giungla
Fotografia: Luane Gomes & Kika Antunes (Revista Manzuá)

INSTITUTO EKOS BRASIL
Diretora-presidente: Ana Cristina Moeri Brüwiller
Relações institucionais: Maria Cecília Wey de Brito
Financeiro-administrativo: Isabel Cristina Sandre Sancini
Coordenador de Projetos: Iago Paniza Sanches Rangel
Analista Ambiental: Thais Mota Rodrigues

PATROCÍNIO 

O Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos é uma iniciativa conjunta da Agência Francesa de Desenvolvimento, da Conservação Internacional, União Europeia, da Gestão Ambiental Global, do Governo do Japão, e do Banco Mundial. Uma meta fundamental é garantir que a sociedade civil esteja envolvida com a conservação da biodiversidade.